Um breve intervalo de alguns meses. Tempo de ruminar idéias e reavaliar expectativas.

De volta agora, pretendo tranformar este blog num espaço de vazão, um lugar de partilhas críticas, não no sentido de apartar, mas, como argumenta o filosófo Jacques Rancière, de uma ação que deseja comugar sensibilidades.

Talvez escreva sobre algum espetáculo, talvez escreva sobre alguma ação que permeie a dança e que dela emerge alguma investigação tanto artistica como científica, na perspectiva de um revezamento permanente entre teoria e prática. Algo que não é fixo, mas que tem como pressuposto básico de que o exercicio crítico é uma “síntese transitória de relações circunstanciais” (Fabiana Britto, 2007).

Justamente por acreditar que a crítica especializada de dança não se restringe ao que sai ou não no jornal impresso, mas de uma tentativa de encontrar outros formatos e modos para uma atuação mais ética e política, longe de apenas uma questão de gosto pessoal.

Esforço que é coletivo e que almeja construirmos outras relações com o mundo em que vivemos e que dele sómos cúmplices.

Print Friendly