Autor: Joubert ArraisPágina 1 de 14

01_O que os animais nos ensinam sobre política? [virar bicho]

O animal sendo animal. Cada espécie com suas margens de manobra. Um tigre sendo tigre. Um cavalo sendo cavalo. Uma arara sendo arara. Um golfinho sendo golfinho. Cada…

“Marlene”, com Noá Bonoba e O Barraco da Constança Tem! : o corpo-espetáculo morre e vive para ser(mos) dissecado(s)

Foto: Marina Cavalcante Teatral, performático, coreográfico, dramático, ensaiado, improvisado, confessional. Assim é Marlene  – a dissecação do corpo do espetáculo, com O Barraco Da Constança Tem!, de Fortaleza (CE),…

L´après Midi D´un Fauller (Cia Dita, 2009) & Central do Brasil (Salles, 1998) – de volta ao passado na era da nostalgia?

Precisamos rever certas danças e certos filmes naquilo que expande nosso olhar para presente com o passado e o futuro. 2019 será um ano de muitas nostalgias. Já…

Desabafo crítico #01: Algumas constatações, talvez desabafos, para quebrar certo silêncio

Uma sociedade coreografada pelas notícias falsas é um corpo que se move por aquilo que não existe mas que é desejado existir. Ou seja, fomos coreopolitizados uma vez…

#09_Os bichos pensam como nós e pensamos que não ou o que aprendemos do que nos ensinam os animais sobre política?

Todo bicho se comporta de um jeito. Cada bicho tem seu jeito de se comportar. Nós da espécie humana tratamos como se todos fosse de um só jeito,…

#08_O movimento que animaliza nossos mundos-danças ou o que há de bicho de estimação no corpo de convivência?

Nos últimos meses, retomei leituras sobre o comportamento dos animais, o que incluem o animal humano. Como a espécie eleita, fomos convencidos de que somos superiores. Mas o…

#07_A vida como um reality show humano animal ou o pensar com o mover as infâncias de nossas danças

Na última sexta-feira fiz um test drive para um novo carro. Fui mais pela experiência do que pela decisão de comprar. Foi um dia bom daqueles em que…

#06_Das escutas de dança que nos falam do humano-bicho ou as estéticas de um virar virando revirando e conviver convivivendo

É preciso ir à praia. Caminhar, caminhar, caminhar e chorar. É urgente dar ao corpo um outro aconchego ou melhor, um outro cuidado. Não procurar respostas, mas descobrir…

#05_Saudades das danças dos outros em nossas memórias ou dos instintos humanos e selvagens corpos que a gente sente dançando

Muitas vezes sentimos saudades de pessoas e lugares. Ultimamente sinto saudades de danças e dos corpos que as dançaram, e que ainda dançam em mim. São memórias que…